SouthZEB forum

Futura legislação nacional nZEB - Debate

 
Picture of Admin Portugal ist id
Futura legislação nacional nZEB - Debate
by Admin Portugal ist id - Tuesday, 24 May 2016, 1:40 PM
 

Partilhe a sua opinião sobre: 

quais os aspectos que deveriam ser incluídos na futura legislação nacional nZEB? 

Picture of Luís Rodrigues
Re: Futura legislação nacional nZEB - Debate
by Luís Rodrigues - Wednesday, 25 May 2016, 5:25 PM
 

Para além da obrigatoriedade da construção em modo nZEB, deveria haver uma fiscalização apertada na construção, de modo a certificar se de facto foram empregues os materiais em projecto.

Picture of Rui Padilha
Re: Futura legislação nacional nZEB - Debate
by Rui Padilha - Wednesday, 25 May 2016, 6:14 PM
 

Não existe no conceito nZEB qualquer referência ao aproveitamento ou optimização da utilização de água, seja residual ou sanitária.

Parece-se que num contexto de eficiência e sobretudo sustentabilidade, o recurso água deveria fazer parte do âmbito do conceito nZEB.

Rui Padilha
Picture of Francisco  Lucas
Re: Futura legislação nacional nZEB - Debate
by Francisco Lucas - Wednesday, 25 May 2016, 9:45 PM
 

Penso que, para garantir a futura qualidade das intervenções que venham a ocorrer, na futura legislação deverá ficará bem explícito quais os profissionais (descriminando eventuais formações complementares, caso se considere necessário terem) que podem/devem subscrever projetos nZEB e acompanhar/fiscalizar/validar as respetivas obras.


Picture of Miguel Ferreira
Re: Futura legislação nacional nZEB - Debate
by Miguel Ferreira - Thursday, 26 May 2016, 3:14 PM
 

- Antes de se desenvolveram os aspetos da nova legislação Nacional sobre os nZEB devem equipas de especialistas na matéria usar simulação térmica dinâmica  em modelos aplicados ao clima do nosso País para validar as opções a inserir  na legislação;

- Ligar o requisito mínimo de U da envolvente à inércia térmica do edifício/fração (atenção pois a grandes espessuras de isolamento  (obrigatórias pela atual legislação) pelo interior dos edifícios, que os tornam de inércia média ou até fraca);


- Ligar a certificação energética à certificação ambiental (desenvolver esta última em Portugal). Atenção pois por exemplo a grandes espessura de isolamento térmico que pelos materiais usados apresentam uma grande quantidade de CO2 incorporado;


- Desenvolver requisitos mínimos de U para as portas pertencentes à envolvente térmica dos edifícios/frações;


- Aumentar a exigência em termos de U dos vãos envidraçados;


-  Considerar somente a aplicação de sistemas  de energias renováveis que não necessitam de qualquer  energia convencional;


- Evitar sistemas de ventilação mecânica e incrementar sistemas de ventilação natural "inteligentes".




Picture of Luís Pacheco
Re: Futura legislação nacional nZEB - Debate
by Luís Pacheco - Friday, 27 May 2016, 9:41 PM
 

Seria muito interessante parametrizar elementos da envolvente referentes não apenas da composição material, mas também, relativamente ao design arquitectónico passivo, pois este tema passa ao lado do projeto sendo utilizado como "estilo".

A inclusão global de todos os componentes que envolve a construção, por exemplo conforme já foi referido, o controle de consumo de água, que está muito associado ao consumo energético do seu aquecimento, assim como a iluminação e todos os equipamentos de consumo eléctrico.

O dominio efectivo da construção no acto de projeto pressupõe um conhecimento concreto dos materiais e sistemas técnicos a aplicar, tabelas de referência com a origem destes elementos, com custo económico e custo de produção de poluição.

O trabalho em equipa multidisciplinar entre os diferentes técnicos deveria ser mais produtivo caso se verificasse um diálogo permanente desde o primeiro momento de projeto.

Picture of Sónia Garcia
Re: Futura legislação nacional nZEB - Debate
by Sónia Garcia - Friday, 3 June 2016, 3:55 AM
 
O sector da construção tem dois paradigmas:


- no publico as obras seguem metodologias próprias para que se faça cumprir o caderno de encargos ou se possível melhora-lo e a fiscalização tem força na decisão no decorrer dos trabalhos. O único problema que aponto aqui, é que a maioria dos técnicos da FP, pode não estar ter informações concretas da verdadeira necessidade de ter um edifício nZEB ou como consegui-lo de uma forma low-coast visto termos um orçamento reduzido para obras.


- se formos a comparar a construção do privado, principalmente o sector que tem mais trabalhos como são de exemplo os edifícios residenciais, aqui o problema é maior. Começa com o problema do empreiteiro ter a responsabilidade do trabalho, de não existir uma lei que obrigue a ter um técnico independente para fiscalizar os trabalhos. 

O Dono de Obra gere a obra a sua maneira, tenta sempre reduzir ao máximo os custos do seu empreendimento. O que acontece, muitas as vezes optam por materiais que não estão certificados, por falta de informação, ou as vezes soluções que não são adequadas a sua escolha.

Sendo o empreiteiro responsavel pela obra, a falta de formação é um dos factores.

Tive ocasião de falar com alguns deles, em que se recusavam a fazer determinados trabalhos por falta de formação técnica.

A maioria só está apto para fazer o básico. Se tivermos em conta que os edifícios nZEB são edifícios que para além de utilizarem técnicas antigas misturam técnicas de vanguarda, com materiais inovadores, esta informação para ser aceite pelo cidadão terá que ser imposta como obrigatória como foi o caso da certificação energética. Caso o contrario, os empreiteiros com os donos de obra, irão sempre minimizar gastos e consequentemente reduzir em materiais/qualidade.